07/09/2015

É QUE ...


Ter o primeiro namorado perfeito, na maioria das vezes, é a maior tragédia que pode acontecer. Ele é o cara dos sonhos, modelo de marido ideal pra meio mundo (incluindo você), mas você só vai perceber que fazia parte desse meio mundo, quando provar o mundo por inteiro, entende? Todo amor do mundo é pouco, porque você não conhece outros gostos, então nada parece doce. Você precisa sentir o amargo de não ser procurada no dia seguinte por aquele carinha "incrível" que parecia estar tão afim de você. E descobrir o objetivo simples dele afinal, com todo aquele teatro de bom moço. Constatar, com um nó na garganta e um soco no estômago, que ele é um perfil muito comum e você vai ter que lidar com muitos dele ainda. Haja jogo de cintura e água, pra não engolir a seco tanta decepção. Mas não tinha jeito, né? Cê precisava sentir na pele que todas essas suas qualidades, seu coração gigante e seu senso de humor contagiante pouco importam pra 95% (sendo otimista) dos caras que você vai ficar apaixonadinha. Eles só ligam pros números: o do seu sutiã, o balanço de quantas ele levou pra cama esse mês e o WhatsApp de todas elas, pra um sexo casual, qualquer dia desses. Sabe como é, né? Não? Ah, logo logo vai saber... Você é só mais um número, mais um corpo. E, falando em números, quantas noites e quantas doses de álcool você precisa pra passar por cima dessa descoberta? Aí você começa a ter noção da raridade que era o seu namorado. Se arrepende e se culpa por não ter valorizado tanta sorte, mas só agora você entende de valores, então não existem contas em aberto pra você fazer ou pagar. Até porque hoje você entende, principalmente, do seu valor, que foi colocado à prova tantas vezes nesse meio e infinito tempo. Então se existe uma culpa, a gente poderia atribuir de forma justa a quem? Agora vocês são outras pessoas e os caminhos estão em direções opostas, já foi. A pessoa certa na hora errada, tudo bem. Agora você tá muito mais madura e consegue reconhecer, claramente, um cara especial. Tá boa de números e calcula imediatamente quem merece 5 minutos do seu tempo e quem merece meses, anos. Detecta quase que instantaneamente quando é ou quando não é pra ser. Tá em harmonia com o tempo e sabe que a sorte sozinha, desalinhada e avulsa, pode ser o maior azar que alguém pode ter.

Marcella Fernanda
.