16/10/2015

Resenha do Livro: Mentirosos E. Lockhart

Hoje venho aqui falar para vocês de um livro que está me causando uma grande ressaca literária!
Porque estou com essa enorme ressaca literária algumas pessoas só vão ficar sabendo se lerem o livro ou se já leram, então venho aqui falar se vocês estão enjoados de histórias clichês devem comprar este livro pois ele e mega diferente, e esse diferencial dele no final faz com que ele se torne magnifico, portanto vamos faz um pouquinho sobre ele..
  
Mentirosos Ano: 2014
 Páginas: 272
 Idioma: português
 Editora: Seguinte
 Autora: E. Lockhart

Os Sinclair são uma família rica e renomada, que se recusa a admitir que está em decadência e se agarra a todo custo às tradições. Assim, todo ano o patriarca (o dono da ilha), suas três filhas e seus respectivos filhos passam as férias de verão em sua ilha particular. Cadence (sua neta primogênita e principal herdeira) , seus primos Johnny e Mirren e o amigo Gat são inseparáveis desde pequenos, e juntos formam um grupo chamado Mentirosos.
Tudo acontece normalmente até o verão de seus quinze anos, as férias idílicas de Cadence são interrompidas quando a garota sofre um estranho acidente. Ela passa os próximos dois anos em um período conturbado, com amnésia, depressão, fortes dores de cabeça e muitos analgésicos. Toda a família a trata com extremo cuidado e se recusa a dar mais detalhes sobre o ocorrido… até que Cadence finalmente volta à ilha para juntar as lembranças do que realmente aconteceu.


Essa família (os sinclair) tinham de tudo para ser uma família perfeita, linda, rica e lembrada por todos, mas quem lê o livro percebe que eles são iguais a todos nós, eles também tem problemas e tinham que os enfrentar, mas em vez de enfrentar, de frente as dificuldades acabavam guardando estes pare si mesmo e vivendo de aparências,afinal, qual família nunca tentou parecer perfeita aos olhos dos outros?

Harry Sinclair tem três filhas: Carrie, Bess e Penny. Carrie é mãe de Johnny e Will; Bess é mãe de Mirren, Liberty, Taft e Bonnie; Penny é mãe de Cadence. Uma vez por ano, todos vão para a ilha particular da família e ficam nela durante todo o verão. Quando Mirren, Johnny e Cadence estão com oito anos, Carrie é abandonada pelo marido e começa a namorar Ed, um comerciante de artes de ascendência indiana, que tem um sobrinho chamado Gat, garoto de pele morena e cabelos escuros, o oposto dos Sinclair.
Cadence se apaixona de imediato por Gat.

“O único fracasso de meu avô foi nunca ter tido um filho homem, mas não importa. As filhas dos Sinclair eram bronzeadas e afortunadas. Altas, alegres e ricas, aquelas meninas eram como princesas de um conto de fadas. Eram conhecidas em Boston, Harvard Yard e Martha’s Vineyard por seus cardigãs de caxemira e festas grandiosas. Foram feitas para virar história. Foram feitas para serem princesas e estudarem nas melhores escolas, terem estátuas de marfim e casas majestosas.”

A chegada de Gat aproxima Johnny de Cadence e Mirren, que antes não gostava muito de brincar com elas, e os quatro, devido às constantes confusões que arrumam na ilha, começam a ser chamados de os Mentirosos pela família. Mas Gat também acentua o desprezo e o preconceito de Harris, o avô dos três garotos. 


Harris é o patriarca da família. Ele é o dono do dinheiro e da decisão de para quem deixará a maior parte de sua herança depois que morrer. E Cadence é a primeira neta, a mais velha e sua preferida. Fica claro seu descontentamento quando flagra ela e Gat se beijando no sótão da mansão.
“Gat permaneceu em pé. Ele precisava abaixar a cabeça por causa do teto inclinado do sótão.– Cuidado, meu jovem – disse meu avô, curto e grosso.– Perdão?– Cuidado com a cabeça. Você pode se machucar.– O senhor tem razão – disse Gat. – O senhor tem razão, posso me machucar.– Então tome cuidado – meu avô repetiu”

Cadence sofre um acidente em circunstâncias misteriosas (para ela pois todos ao seu redor sabiam) que faz com que ela tenha perda de memória, depressão e fortes dores de cabeça. Dois anos após o acidente, ela resolve voltar à ilha pra tentar entender o que ocorre quando tinha 15 anos e rever seus amigos, os Mentirosos, com quem não manteve contato durante esse longo período. Isso porque eles somente se falavam quando estavam na ilha. Durante todos os outros meses, cada um seguia com sua própria vida.
“Na primeira noite, chorei, roí as unhas e tomei vinho roubado da despensa de Clairmont. Girei impetuosamente céu adentro, furiosa, golpeando estrelas em seu ancoradouro, rodopiado e vomitando. Bati o punho na parede do chuveiro. Lavei a vergonha e a raiva em água fria, muito fria. Depois fiquei tremendo na cama como o cachorro abandonado que era, pele tremendo sobre os ossos.”

Acontece que a volta à ilha não traz toda a tranquilidade que Cadence esperava,suas enxaquecas aumentando a cada fragmento(pequenos pedaços) de memória recuperada.


Com frases curtas e uma cadência poética, ela vai nos inserindo na mente de Cadence até ficarmos envolvidos a ponto de não querermos largar o livro até chegar ao final, sem contar as clássicas histórias feitas por Cadence presentes no livro que da um grande charme a mais.
Tenho quase dezoito anos.Tenho um cartão de biblioteca bem gasto e pouco mais que isso, embora more em umacasa enorme cheia de objetos caros e inúteis.Eu era loira, mas meu cabelo agora está preto.Eu era forte, mas agora sou fraca.Eu era bonita, mas agora pareço doente.”

Vocês devem saber como é, não dá ´para entender nada do que lê no começo, sente vontade de não seguir em frente por conta disso e mesmo assim não tem coragem de colocar o livro de lado. Mas aí quando chega uma parte da história bem inesperada começamos a atiçar a curiosidade de tal forma que a pessoa percebe outras camadas na escrita, e vê as peças se encaixando de tal modo que se sente bobo por ter sido tão brilhantemente enganado pela autora. Essa pessoa sou eu, sério gente aí depois ficamos assim meu Deus como fui tão idiota, essa autora acabou literalmente comigo e aposto que com quer irá ler este livro e com quem já leu também.











.