24/01/2016

Resenha: Jane Eyre Charlotte Brontë

Ola Leitores!! Hoje trago o ultimo livro do desafio do mês de Janeiro da qual estou participando. Esse Ultimo desafio consistia em escolher um livro da lista, e eu escolhi Jane Eyre, e não poderia ter escolhido outro, esse livro é lindo e eu não sabia.

Título: Jane Eyre
Autor: Charlotte Brontë
Editora: Best-Bolso
Número de Páginas: 528
Ano de Publicação: 2011
Sinopse: Jane Eyre é uma menina órfã que vive com sua tia, a sra. Reed, e seus primos, que sempre a maltratam. Até que, cansada do convívio forçado com a sobrinha de seu falecido esposo, a mulher envia Jane a um colégio para moças, onde ela cresce e se torna professora. Com o tempo, cresce nela a vontade de expandir seus horizontes. Ela põe um anúncio no jornal em busca de trabalho como governanta. O anúncio é respondido pela senhora Fairfax, e Jane parte do colégio para trabalhar em Thornfield Hall. Lá, ela conhece seu patrão, o sr. Rochester, um homem brusco e sombrio, por quem se apaixona. Mas um grande segredo do passado se interpõe entre eles.


Depois que terminei de ler esse livro fiquei com aquela nostalgia de o que fazer agora?  o que sera da minha vida? rsrs, Gente que livro lindo, simplesmente perfeito, eu o escolhi dentre diversos livros da lista e não acreditava que ele iria me tocar tanto. Eu amo romance de época mais nenhum deles me tocou tanto quanto esse.


O livro conta a historia de Jane Eyre Uma menina que perdeu os pais ainda criança, e fora criada com o seu tio. logo ele falecera pedindo então sua esposa sra, Reed que a criasse como se fosse sua filha, Mais a Sra, Reed tinha um ódio enorme por Jane, e  a partir de sua morte começou a maltrata-la e fazia com que seus filhos fissesse o mesmo, ela tinha três filhos, Jonh, Giorgina e Eliza, as crianças odiavam Jane da mesma forma que a mãe odiava, Jonh a espancava diariamente e saindo sempre ileso, fazendo assim Jane ficar com bastante revolta. Em um desses espancamentos que Jane ficara doente e assim conhecera um farmacêutico que a ajudou a convencer a Tia a leva-la para um orfanato.

No orfanato Jane fizera uma grande amiga chamada Hellen uma menina serena e calma e muito nobre, fora sua primeira amiga no orfanato, no inicio foi bem difícil Jane de habituar  com as regras e doutrinas do orfanato religioso.
– Mesmo que o mundo inteiro a odeie e a julgue má, enquanto sua consciência estiver tranquila e isentá-la de culpa, você nunca ficará sem amigos.

Passara-se 8 anos que Jane estava no colégio (Orfanato) foram 4 estudando e 2 como professora, sentia um vazio no peito, queria ir rumo ao desconhecido, procurar por novas descobertas, o seu "Eu" ali era muito limitado, e sentiu que não poderia suportar mais ficar ali, quando publicou em um jornal a procura de um emprego, Logo fora chamada para ser governanta em uma casa em Thornfield Hal, ela seria professora de Adele, Lá ela conhecera Edward Rochester, Ambos se apaixonaram, ele era um homem duro, brusco, ambicioso. Mais logo mudara ao conhecer Jane. e depois de uma confusão ele a pedira em casamento, Mais o que ela achava que seria a partir dali uma felicidade eterna estava mais para um começo de sofrimento, pois no dia do seu casamento ali na frente do padre descobrira que Edward já era casado e sua esposa ainda vive, com isso não poderia se casar. Porém sua esposa era louca, e era um tormento para ele ter que viver o resto de sua vida ao lado dela.
Que nunca uma tola maior que Jane Eyre havia respirado o ar da vida. Que nunca uma idiota mais completa havia se alimentado com doces mentiras, e engolido veneno como se fosse néctar.


Tal fora a sua decepção que ela fugira sem destino, sem dinheiro, sem nada, apenas com o seu orgulho ferido, passou por muito sofrimento até que um pastor a acolhera em sua casa, já estava fraca e quase morrendo, por causa da fome.

Querido leitor, desejo que nunca sinta o que eu senti naquele momento! Que os seus olhos nunca derramem lágrimas tão copiosas e escaldantes, vindas do coração, como as que correram dos meus. Que nunca implore aos céus em preces tão desesperadas e agoniadas como aquelas que saíram dos meus lábios. E que nunca venha a ser, como eu, oprimido pelo terror de ter sido o instrumento do mal contra aquilo que ama mais profundamente!
Não Foi preciso de dias para que todos a amassem, ela não tinha beleza, mais a sua bondade e lealdade fazia dela única, logo o Missionário Rivers cujo a acolheu em sua casa junto com as irmãs Mary e Diana , que mais tarde descobríamos que eles eram seus primos desconhecidos, e ela descobriu também que herdara uma fortuna do seu tio que morrerá. 
As pessoas reservadas muitas vezes precisam discutir livremente seus sentimentos e aflições, muito mais do que as pessoas expansivas. Os que parecem estoicos também são humanos, afinal de contas, e “irromper” com audácia e boa vontade no “mar silencioso” das suas almas é, frequentemente, fazer-lhes um favor.

Recebera um pedido de casamento do missionário Rivers, Mais antes teria uma missão a qual ela devia investigar antes de tomar uma atitude tão drástica de casar-se, e viver na índia como esposa de um missionário.
Devo então repetir, continuamente, que estamos separados para todo o sempre... Ainda assim, enquanto me restar vida e alento, vou amá-lo.”
Eu poderia ficar aqui horas e horas relatando mais sobre essa prazerosa leitura, o livro simplesmente te prende do inicio ao fim, e daqueles que você para, e não faz mais nada da vida para lê-lo, e quando tem que parar por um momento é uma dor tão forte que você pensa que esta largando um filho. A historia é muito envolvente sentimos de perto a dor de Jane, seus sofrimentos e suas duvidas, ficamos o tempo todo torcendo para que ela faça a escolha certa, e devo dizer que ela faz sim. 
O livro tem vários ensinamentos bíblicos, e uma verdadeira obra de arte, seus personagens são incríveis,  Amei tanto a personagem de Jane que me entristeceu em saber que o livro tinha acabado.
Aah e devo dizer que o livro é todo poetizado, uma escrita cheias de reflexões, e bem fácil de ler. super recomendo é um livro que obrigatoriamente deve ser lido.




.