18/01/2016

Resenha: À procura de Audrey Sophie Kinsella

Olá Leitores! O livro de hoje estava na minha lista de desejados a muitooo tempo, sempre quis ler algo da Sophie os comentários sobre a escrita dela era das melhores por isso sempre tive a curiosidade de conhece-la e realmente ela é impressionante.

Título: À Procura de Audrey
Autor: Sophie Kinsella
Editora: Galera Record
Número de Páginas: 336
Ano de Publicação: 2015
Genero: YA, Chick Lits

Audrey, 14 anos, leva uma vida relativamente comum, até que começa a sofrer bullying na escola. Aos poucos, a menina perde completamente a vontade de estudar e conhecer novas pessoas. Sem coragem de sair de casa e escondida por um par de óculos escuros, a luz parece ter mesmo sumido de sua vida. Até que ela encontra Linus e aprende uma valiosa lição: mesmo perdida, uma pessoa pode encontrar o amor.






Audrey é uma adolescente de 14 anos, vive com seus pais Anne e Cris, e seus dois Irmãos Frank e Felix, Frank é um jogador fanático por LoC passa 10 hras por dia atras de uma tela de computador jogando, Felix tem apenas 4 anos, e Audrey é a protagonista da historia, apesar que achei que o Frank aparece mais que ela, porque é o seguinte, Audrey passou por traumas na escola onde estudava, sofria Bullyng por um grupo de meninas, e aconteceu algo que no livro não é citado, pois Audrey vai sempre em uma terapeuta e ela aconselha não revirar o passado, a esquecer, por isso não é citado o motivo que deixou Audrey com transtornos psicológicos, Ela sofre de Transtornos de Ansiedade e um pouco de depressão, vive se escondendo dentro de casa e nunca sai para a rua, se esconde atrás de um óculos escuros não tira nem para os próprios familiares ( Esse é o motivo da capa rsr), os vizinhos apelidaram ela de "Celebridade" Pois só vêem ela de óculos até em dias sem sol. Seus Pais a mudaram de escola depois do incidente, irá para outro colégio e repetirá de ano já que perdeu muitas aulas por causa da doença.

“- Olhe, é a celebridade! – ironiza o pai de Ollie, Rob, que vem me chamando de ‘a celebridade’ pelas últimas quatro semanas, embora tanto mamãe quanto papai, em ocasiões diferentes, tenham lhe pedido para parar. Ele acha que é engraçado e que meus pais não têm senso de humor (noto, com frequência, que as pessoas equiparam ‘ter senso de humor’ a ‘ser um idiota insensível’). 

A mãe de Audrey, Anne, que é uma peça ama ler um jornal o Daily Mail e acredita em tudo o que ele diz, em uma dessas noticias estava sobre adolescentes viciados em jogos, ela acreditava que Frank se encaixava perfeitamente nesse quadro de "viciados", faz de tudo para tirar o filho do vicio MALIGNO que é o jogo LoC, Uma mãe super protetora, e engraçada, saiu do emprego quando Audrey sofreu esse trauma, desde então deixam todos meio alvoraçados dentro de casa.

"Onde estão os Gritos, não pode estar o conhecimento verdadeiro". - Da Vinci

Linus é um amigo de Frank que vai sempre em sua casa jogar LoC, são parceiros da equipe de jogos, Audrey sai correndo som surtos psicóticos logo que o vê, ela tem traumas de pessoas, não conseguem a olha-las no olhos e nem manter contato físico.

Imagens do Google

O livro todo fala sobre essa temática sobre o bullyng, de como pode causar danos nas pessoas que a sofrem, apesar de ser escrita de um jeito tão irreverente e engraçado, deixa o tema menos pesado, mais não menos importante, na historia relata como Audrey vai lidando com isso e se superando a cada dia, a cada desafio feito por sua terapeuta, Como é escrito em primeira pessoa vemos de perto as suas dificuldades de interagir com as outras pessoas, e como é difícil pra ela fazer isso. O livro também tem um pouco de romance muito fofo por sinal, o Linus é lindo e juntos ele ajuda a Audrey a superar muitos dos seus medos.
Andei Pensando bastante sobre tudo, e acho que mamãe estava certa sobre a parada dos gráficos de altos e baixos. Todo mundo está em um, Até o Frank, até mamãe. Até Felix. Acho que entendi que  a vida é tipo uma escalada você cai e se levanta de novo, então não importa se der uma escorregada, contando que esteja mais ou menos caminhando para cima. Isso é tudo que se pode esperar. Seguir mais ou menos para cima.

Super indico o livro, além de trazer uma mensagem super linda, de como superar dificuldades com o apoio da família, e super engraçado com cenas cômicas e hilarias, por um estante senti que o pai dela é meio que distante, apoia tudo que a Annie fala sem nem mesma a ouvi-la, fica o tempo todo no Black Berry, achei ele um pouco ausente na família, mais ele não deixa de ser um bom pai, e nenhuma família é perfeita né. A escrita da autora é super fluente li o livro em 2 dias e leria em menos caso não fosse os imprevistos, super envolvente e cheios de mistério já que não fala o que realmente aconteceu com Audrey, Mais é super lindo e merece ser lido.




.