20/06/2016

Resenha: Laços Inseparaveis Emilly Giffin

Título: Laços Inseparáveis
Autor: Emily Giffin
Editora: Novo Conceito
Número de Páginas: 448
Ano de Publicação: 2012
Sinopse: Marian Caldwell é uma produtora de televisão de 36 anos, vivendo seu sonho em Nova York. Com uma carreira bem-sucedida e um relacionamento satisfatório, ela convenceu todo mundo, inclusive si mesma, que sua vida está do jeito que ela deseja. Mas uma noite, Marian atende a porta… para apenas encontrar Kirby Rose, uma garota de 18 anos com a chave para o passado que Marian pensou ter deixado para trás para sempre. Desde o momento que Kirby aparece na sua porta, o mundo perfeitamente construído de Marian — e sua verdadeira identidade — será chacoalhado até o fim, fazendo ressurgir fantasmas e memórias de um caso de amor apaixonado que ameaça tudo para definir quem ela realmente é. Para a precoce e determinada Kirby, o encontro vai provocar um processo de descobrimento que a leva ao começo da vida adulta, forçando-a a reavaliar sua família e seu futuro com uma visão sábia e doce. Enquanto as duas mulheres embarcam em uma jornada para encontrar o que está faltando em suas vidas, cada uma irá reconhecer que o lugar no qual pertencemos normalmente é onde menos esperamos — um lugar que talvez forçamos a esquecer, mas que o coração se lembra eternamente.




Esse é o segundo livro que leio dessa autora maravilhosa que é a Emilly Giffin, O primeiro que li foi o bastante para me apaixonar pela a escrita e historias reais vivenciadas em muitas famílias pelo o mundo, o primeiro a me apaixonar foi Questões do Coração, um romance simples mais cheio de emoções e tão real que acreditamos que aconteceu de verdade.
Nesse livro vamos encontrar Marian uma mulher bem sucedida que mora em Nova York namora um dos caras mais importantes do país o dono de uma tv onde ela trabalha, Marian é produtora e esta gerenciando uma série onde está dando muito ibope a emissora, em um horário de pico ela cada vez esta mais perto do que sempre sonhou. Peter seu namorado acabou de se divorciar e está dando um tempo ao que se chama "Casar de novo", porém Marian esta em seus plenos 36 anos e já esta começando a ficar apreensiva pois com sua idade não poderia dar esse "Luxo" de esperar mais, pois mais tarde talvez não poderá mais ter filhos e o próximo sonho dela é formar uma família.

… Nós sempre teríamos o passado, que, de algum modo, é tão importante quanto o presente ou o futuro. É a nossa origem, é o que nos torna quem somos.


 Mas mesmo olhando sempre em frente em dados momentos o passado sempre volta, ainda mais quando há um erro com mentiras mal resolvidas, Marian que sempre tentou esconder seu passado de todos até mesmo de Peter e seu pai, se ver entrelaçada a contar tudo e resolver esse passado que ela tanto temia esperando do lado de fora da sua porta.


As coisas são o que são e não faz sentido ficar lembrando do passado ou imaginando como poderia ter sido.

O livro é intercalado entre Marian e Kirby, ambas conta sua historia em cada capitulo. Kirby é uma adolescente problemática, tirando sempre notas baixas no colégio não quer saber de ir para a faculdade, mora com seus pais adotivos, e sempre fora muito amada igualmente sua irmã Charlote filha biológica de seus pais.

"Não é carne de minha carne, nem sangue do meu sangue, mas assim mesmo, de um jeito milagroso, ainda é parte de mim. Nunca esqueça nem por um minuto, que você não cresceu embaixo de meu coração, mas dentro dele".

 Após ouvir escondida uma conversa entre seus pais sobre a sua conduta problemática citando que talvez fosse genética, Kirby sai em busca de seus pais biológicos para saber a sua verdadeira origem, ao pensar que poderia ser filha de qualquer pessoa com problemas pessoais ou financeiros, ela se depara com uma mulher  respeitada e importante bem resolvida e super responsável que ela não imaginaria nunca que sua mãe biológica fosse.


O que vou dizer quando ela perguntar sobre ele? A verdade, é claro, mas existem tantos graus e interpretações da verdade que tal coisa, em sua forma mais pura, praticamente não existe.


 Como sempre a Emilly trouxe uma historia cativante e polemico com personagens super fortes, ela nos conta de um jeito que por mais que o personagem cometesse erros não seriamos capazes de julga-lo, vemos ali por aparência uma mulher fria que a Marian tenha se tornado mas não poderíamos dizer se ela fez o certo ou não, seus atos e erros cometidos na juventude fez com que de alguma forma algo bom tenha nascido ali, nos primeiros capítulos observamos como ela poderia ser tão indiferente a aquela situação que estava em sua frente, como ela foi capaz de por tão pouco obstaculo se desfazer de uma coisa tão importante na vida de uma  pessoa, mas logo na frente vemos o quanto ela sofreu para abrir mão daquilo que ela tanto queria, apenas para seguir seus planos e sonhos, de entrar em uma faculdade e ser uma pessoa que pudesse orgulhar o seu pai a quem ela tanto amava e admirava por seus esforços para com ela.
Ao decorrer do livro vamos observando como os personagens amadurecem, e por maior que sejam seus erros, a vontade de conserta-los será sempre maior, vi nesse livro uma verdadeira lição de aprendizado, a termos mais  responsabilidades e por mais que a gente erre temos que ter mente que temos que voltar e consertar, e que uma mentira mesmo que pequena pode ser tornar em uma muito grande e causar muitas destruições em nossa vidas. Super indico o livro, acho que é sem duvida uma dos melhores da Emilly, para quem ama historias de drama em família esse livro é ótima opção.

O lugar ao qual pertencemos é onde menos esperamos nos encontrar. 

.