23/01/2017

Resenha: Eu Estive Aqui

Povoo do meu coração, deixei vocês na mão por um tempo né :(, mas e por este motivo que voltei!
Estava no último ano do ensino médio,portanto tive que me dedicar mais a ele, sabem né tem o benedito Enem, enfim agora passou e que venha a faculdade!

Para comemorar hoje irei falar de  Eu estive aqui.

Ano: 2015 
Páginas: 240
Idioma: portuguê

                                      Sinopse

Quando sua melhor amiga, Meg, toma um frasco de veneno sozinha num quarto de motel, Cody fica chocada e arrasada. 
Ela e Meg compartilhavam tudo... Como podia não ter previsto aquilo, como não percebera nenhum sinal?

A pedido dos pais de Meg, Cody viaja a Tacoma, onde a amiga fazia faculdade, para reunir seus pertences. Lá, acaba descobrindo muitas coisas que Meg não havia lhe contado. Conhece seus colegas de quarto, o tipo de pessoa com quem Cody nunca teria esbarrado em sua cidadezinha no fim do mundo. E conhece Ben McCallister, o guitarrista zombeteiro que se envolveu com Meg e tem os próprios segredos. Porém, sua maior descoberta ocorre quando recebe dos pais de Meg o notebook da melhor amiga. Vasculhando o computador, Cody dá de cara com um arquivo criptografado, impossível de abrir. Até que um colega nerd consegue desbloqueá-lo... E de repente tudo o que ela pensou que sabia sobre a morte de Meg é posto em dúvida.


Neste livro Gayle mantem seu jeito de mostrar o sofrimento das pessoas diante de certas dificuldades da vida, como a perda de alguém, e diversos pontos de vistas das pessoas sobre o ato do suicídio.

"Sinto informar que precisei dar fim à minha própria vida. Estou adiando esta decisão há muito tempo, e ela é minha e de mais ninguém. Sei que isso lhe causará sofrimento, e lamento que seja assim, mas saiba que eu precisava acabar com a minha dor. Não tem nada a ver com você, mas tudo a ver comigo. Não é culpa sua. Meg."

 Quando Cody recebe um e-mail da melhor amiga não acredita que é real, porem logo a noticia se espalha é ela percebe que não se tratava só de uma brincadeira!

Este trama é narrado em primeira pessoas por  Cody, melhor amiga de Meg, jovem de 19 anos que cometeu suicídio após sua ida para a faculdade. Algo que muito me agrada na escrita de Forman é a maneira de como ela é capaz de se fundir às suas personagens e assumir as características delas. Em muitos momentos em Eu Estive Aqui, encontramos uma escrita curta, direta e intensa, extremamente representativa de toda a raiva sentida por Cody, em meios aos seus complexos sentimentos.
A protagonista, que antes precisava lidar com suas frustrações ligadas tanto ao seu crescimento familiar quanto com seus planos de ida à faculdade inatingidos, agora precisa encarar, também, o luto pela amiga, a incompreensão por Meg ter tirado a própria vida, a dor e a culpa por não saber o que pode tê-la levado a essa decisão. Aliás, é interessante, também, como a autora expõe a dualidade entre Meg e Cody através da visão de Cody: como pode uma garota que tudo tinha acabar com a própria vida? Como pode continuar vivendo uma garota que vivia à sombra da outra?
"Sinto a tentação de cheirar os lençóis. Se fizer isso, talvez seja suficiente para apagar tudo. Mas você só consegue prender a respiracão até certo ponto. Em algum momento, terei que soltar o cheiro dela; então, vai ser como aquelas manhãs, em que acordo e me esqueço antes mesmo de lembrar."

 Conforme a história avança, não apenas fui me envolvendo mais com as emoções de Cody, como também fui tomada pela curiosidade, nascida das descobertas da protagonista a cerca do suicídio de Meg. Gayle Forman inseriu uma pitada de suspense em sua obra de forma a deixá-la ainda mais atraente e convidativa.

Me da vontade de matar aquele cara do grupo de suicidas!

AVALIAÇÃO GERAL: 5 estrelas. 


Resultado de imagem para 5 estrelas



.