20/02/2016

Resenha : O Ladrão de Raios (PJ)


Olá Leitores, como havia avisado na postagens Caixinha de correio de Janeiro, hoje venho       apresenta para vocês a resenha do livro Percy Jackson (Pj) e o Ladrão de Raios.



Ano:2015
Ano: 2014
Páginas: 387
Editora: Intrínseca
Autor: Rick Riordan
                                        Sinopse
O primeiro livro da série que se tornou fenômeno mundial, em edição limitada e com design exclusivo: as cinco lombadas dos livros compõem, juntas, uma ilustração especial de John Rocco.
Em O Ladrão de Raios, Percy Jackson, o menino que aos doze anos descobre que é um semideus, filho de Poseidon, precisa impedir uma guerra entre os deuses que destruiria a civilização ocidental; em O Mar de Monstros, ele e os amigos se envolvem em uma perigosa aventura para defender o acampamento dos semideuses; em A maldição do titã, Percy descobre que o Senhor dos Titãs despertou e está disposto a destruir a humanidade; em A batalha do Labirinto, o semideus vai combater o perigoso titã no temido Labirinto de Dédalo; e em O Último Olimpiano, Percy tem que lidar não só com o exército de Cronos, mas também com a chegada de seu décimo sexto aniversário - e, assim, com a profecia que determinará seu destino.


                                            Logo no primeiro capitulo há um aviso.


“Olhe, eu não queria ser um meio-sangue.
Se você está lendo isto porque acha que pode ser um, meu conselho é o seguinte: feche este livro agora mesmo. Acredite em qualquer mentira que sua mãe ou seu pai contou sobre seu nascimento, e tente levar uma vida normal.”

Percy Jackson, um menino de 12 anos, hiperativo, com déficit de atenção, expulso de 6 colégios em 6 anos, descobre ser um meio-sangue, ou seja, filho de um mortal e um deus. E isso lhe traz grandes problemas .O autor explora bastante as sensações do menino,e consegue nos trasmiti-las muito facilmente. A emoção de se descobrir filho de um dos Deuses mais poderosos do Universo; e que para este, sua existência significa um pouco mais que uma trangressão e o fato de ter de recuperar o raio-mestre de Zeus, já que o menino era o acusado de roubá-lo. Nesta busca conta com a ajuda de Grover, um sátiro, e de Annabeth, filha de uma deusa com um humano.
"O que quer que ainda faça, saiba que você é meu. Você é um verdadeiro filho do deus do mar." 
O mais legal de tudo é como o autor consegue encaixar acontecimentos da mitologia grega no livro, tornando-os tão "século XXI". Deuses tentaram o impedir de conseguir provar a Zeus que ele não é um ladrão, mas será que ele conseguira passar por cima de deuses sendo apenas um (menino semi deus) isso vocês só descobriram lendo né!  
De certo modo, é bom saber que há deuses gregos lá fora, porque aí temos alguém para culpar quando as coisas dão errado.
O que dizer de um livro que lemos em 2 dias? Que ele contem uma leitura leve? Que ele sempre nos deixa curioso para saber o que vai acontecer? Que as páginas parecem que tem perna e quando reparamos já acabamos? Ou porque o livro e simplesmente ótimo? 
Olha gente posso dizer para vocês que foi tudo isso que senti quando acabei este livro, é como todo livro ainda fiquei com uma pulga na orelha no final ( novidade né eu ficar cheia perguntas ainda, por este motivo o livro tem continuação)


.